25 de jun de 2016

Oração do dia: 25/06

Ore pela família de mulheres que morreram durante o parto, pois seus bebês nasceram aos cuidados de ajudantes sem qualificação. Alguns costumes culturais levam as mães a não receberem os cuidados que precisam. Menos da metade dos partos ocorrem com a ajuda de pessoas qualificadas. 

Um comentário:

  1. Olá, eu Juliana Taveira, apresento a oração de hoje. “Após anos de guerra civil, Angola e Moçambique estão continuamente passando por um processo de reconstrução e busca de estabilidade. Porém a maior parte da população ainda enfrenta problemas como a pobreza extrema e a falta de um sistema de saúde adequado. Para amenizar a situação, a organização Médicos Sem Fronteiras oferece cuidados de saúde à população desses países. Num relatório de 2009 publicado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância, a UNICEF, indica que na África milhares de mulheres correm um alto risco durante a sua vida de morrerem durante a gravidez ou devido a complicações durante o parto, normalmente por causa de partos obstruídos, hemorragias ou infecções. A UNICEF chegou à conclusão que 80% das mortes maternas podiam ser evitadas se houvesse acesso a profissionais da saúde qualificados. O número de parteiras qualificadas é extremamente baixo e os funcionários de saúde dizem que é necessário e urgente qualificar mais pessoas para esse trabalho de parteira”. O período de gravidez e o nascimento de um bebê deveriam ser um dos momentos mais felizes na vida de uma mulher, mas como vimos pelos relatórios da UNICEF muitas mulheres sofrem muito e até chegam a falecer pela falta de assistência e tratamento médico adequados. Você pode imaginar como deve ser triste perder uma filha ou uma esposa grávida? Sim? Então seja minha parceira de oração. “Senhor, a gravidez e o nascimento de um bebê devem ser motivos de alegria na família por isso intercedemos pelas mulheres angolanas e moçambicanas, protege a vida destas mães e de seus bebês. Move o coração dos governantes para oferecem cursos de parteira nestes países, aumentando assim as chances dessas jovens mães terem seus bebês sem qualquer complicação. Nós oramos e clamamos em nome Jesus”. Eu, Juliana Taveira, conto com suas orações.

    ResponderExcluir